News Center
Kantar Worldpanel - www.kantarworldpanel.com
News Center

Portugueses gastam em média 55 € fora de casa

24/04/2018

Share

Portugueses gastam em média 55 € fora de casa

O novo relatório Out-of-Home (OOH) da Kantar Worldpanel demonstra que o consumo fora de casa representa quase metade (41%) dos gastos globais em snacks e bebidas não-alcoólicas. Em algumas categorias como o café, as compras fora de casa representam 70% do gasto total, dando indicações sobre as oportunidades para retalhistas e marcas de fabricantes, que atualmente não estejam a considerar estratégias para o consumo fora de casa.

Este relatório analisa dados dos painéis de consumidores da Kantar Worldpanel em Portugal, no Brasil, na China, em França, na Indonésia, no México, em Espanha, na Tailândia e no Reino Unido. Também revela alguns comportamentos de compra ao nível local. 98% dos consumidores portugueses são ativos no mercado OOH, gastando em média 55 € ao ano, num total de 60 visitas. Aqui, a Distribuição Moderna representa 10% de todo o gasto fora de casa.

Padrões regionais únicos para OOH

O relatório demonstra que o comportamento de compra fora de casa está mais desenvolvido no Reino Unido, onde os compradores gastam em média 424 € anualmente – quase o dobro de Espanha, o mercado com o segundo maior gasto (181 €).

Os compradores tailandeses são os que compram com mais frequência fora de casa, com uma média de 214 visitas ao ano – mais de uma vez a cada dois dias. O Reino Unido está logo atrás (199), seguido pelo México (105) e Espanha (102).

Onde ocorre a compra fora do lar?

Hotéis, restaurantes e cafés (horeca) têm um desempenho mais forte na Europa, com 83% do gasto fora de casa dos portugueses a ser feito nestes sítios e 60% dos espanhóis.

Fora da Europa, os canais de impulso e o comércio tradicional representam uma grande parte da proporção gasta em OOH. No Brasil, por exemplo, 36% das compras de snacks fora de casa acontecem em canais de impulso, enquanto que 85% do total de ocasiões na Indonésia ocorrem em mercados.

Tabela 1: Gasto Out-of-home versus In-home (snacks e bebidas não-alcoólicas)

  Total 9 países  Portugal França Reino Unido Espanha Brasil China México Indonésia Tailândia
% Fora do lar 41% 27% 24% 42% 46% 47% 48% 49% 63% 66%
% Dentro do lar 59% 73% 76% 58% 54% 53% 52% 51% 37% 34%

Tabela 2: Comportamento de compra anual Fora de Casa

  Portugal França Reino Unido Espanha Brasil China México Indonésia Tailândia
% Penetração 98% 95% 95% 98% 100% 100% 100% 100% 100%
Frequência 60 49 199 102 80 84 105 77 214

Gasto por ocasião (€)

0,9 € 3,4 € 2,1 € 1,9 € 2 € 1.5 € 1.4 € 0,2 € 0,7 €
Gasto por comprador (€) 55 € 168 e 424 € 181 € 158 € 129 € 151 € 20 € 149 €

 Tabela 3: Onde ocorre a compra fora do lar?

        Distribuição Moderna
  Horeca Impulso Comércio Tradicional

Lojas de Conveniência

Minimercado

Hipers/Supers
Portugal 83% 7%  0%  2%   8%
França 53% 40% 0%  1%  6% 
Indonésia 2% 0%  85%  11%  2% 
Espanha 63% 20%  0%  2%  15% 
Brasil 22% 35% 22% 3%

18%

Reino Unido 43% 34% 0%  9% 15%
México 15% 14% 33% 22%

15%

China 34% 7% 15%

21%

22% 
Tailândia 20% 10%  24% 42% 4% 


Fora de casa é incremental à Distribuição Moderna

2 € em cada 10 € gastos na Distribuição Moderna são para consumir fora de casa.

À medida que a Distribuição Moderna prolifera nos mercados em desenvolvimento, tem havido um efeito indireto no consumo fora de casa. Na Tailândia e no México o consumo fora de casa representa mais de metade do gasto de snacks e bebidas não-alcoólicas na distribuição moderna (59% e 55% respetivamente), seguidos da China (39%) e Indonésia (38%).

Maria Josep Martínez, diretora global Out-of-home director, afirmou: “Cada país tem os seus próprios costumes, o que torna a adaptação da oferta OOH nas várias regiões difícil. As pessoas compram em vários tipos de canais, de acordo com as suas necessidades e o tipo de canais locais existentes têm um grande impacto nas compras fora de casa. Não há uma abordagem única para todas as situações”.

As marcas têm a oportunidade de rever o comportamento em cada mercado, percebendo as diferenças essenciais e a estrutura de canais. Para os retalhistas e fabricantes que estejam dispostos a criar uma estratégia OOH, os benefícios podem ser significativos”.

Entre em contacto

Blandine Meyer
Commercial Director

Faça o download do relatório completo

Newsletter

Print this page

Ligue-se @ nós
Newsletter
Twitter
LinkedIn
Facebook

O nosso site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a utilizar este site, concorda com a utilização das nossas cookies. [Cookies policy]